domingo, 14 de outubro de 2012

Éramos uma família...

Não há raivas, rancores, mágoas,
só tristezas, e saudades,
dos bons tempos, dias felizes,
tardes gostosas e noites de muito papo.

Éramos cinco, amigos, confidentes,
leais e funcionários,
quando há um tempo em seus agitados dias,
ainda me ligam pra conversar um pouco,

Sinto-me triste com a perda da presença diária
dessas pessoas,
os abraços apertados, beijos de carinho,
pura amizade...

Gotinhas de relaxante,
ou de antibióticos,
era eu quem cuidava disso,
eles me chamavam confiantes
e me pediam para ajudá-los,
puro comodismo?
eu fazia com carinho
e gostava de atendê-los,

os patrões são assim,
carentes, protetores e
aparentemente amigos,
mais há uma distância longa que nos separa,
e eu sempre soube, e sempre os respeitei,
com a educação na qual fui ensinada,

Não fui pega de surpresa,
afinal sei muito do que acontece,
 não sou boba, nem surda,
por isso, não cultivo nenhum rancor,
não posso responder pelos outros que tmb foram cortados,
falo por mim, e isso me basta,

não mudarei meu modo respeitoso em lidar com as pessoas,
afinal foram três anos de bom convívio,
pra mim espero logo que possível
encontrar algo que goste de fazer,
pra eles espero que tudo, tudo mesmo dê certo.


Elas.

Nenhum comentário: