segunda-feira, 20 de agosto de 2012

Em trevas...


A mente percorre
mundos mundanos,
viciados,
parados no tempo

Cavaleiros noturnos
em galopes bravos e arredios,
estúpidos e cruéis  
com suas lanças cortantes
em combates maléficos
às suas almas...

Mulheres de branco
suave rosa na cabeça,
suor congelante
pingo de seiva ardilosa,

quem as condenará?
quem as deixará ao léo?
perdidas em estradas
lamacentas
impregnadas de insetos
macabros e rastejantes,

Tudo por lá é noturno,
vertiginoso, sombrio,
selvagem

Não existirá a luz, estrelas, fogo,
somente a escuridão e suas lendas.

que lugar é esse
que em meus devaneios persiste?
me parece o inferno,
se é que ele existe.

Lúciah.

Nenhum comentário: