quarta-feira, 11 de abril de 2012

Fato


 

Observo muito as pessoas na rua, umas semanas atrás, marquei um encontro com ele em um certo bar perto de casa, Lugar familiar e de nome no Rio.
Tive o prazer de chegar antes e partilhar um pouco de minha presença, tipo, eu & eu.

Depois de um certo tempo começaram a chegar alguns casais, primeiro um homem e sua mulher, um mal olhava na cara do outro, pediram o prato e esperaram sem dar uma palavra sequer, o rango chegou e eles continuaram mudos, comendo com seus pensamentos muito distantes.

Um tempo depois, um casal gay, o entrosamento dos dois
era visível, sentaram bem de frente um para o outro, e enquanto conversavam se olhavam diretamente nos olhos, achei bacana, tinham cumplicidade.

Mais um tempo, agora um coroa, tipo 68 anos, com uma jovem negra, tipo, hippie. via-se que eram amantes, ou quase, ele devia estar investindo...

Não me vejo mais como o primeiro casal, gosto de estar apaixonada, e esse marasmo da vidinha, me cansa.
se não tem mais nada para dividir, além da conta do restaurante, pra quê ficar juntos ? perda total de tempo...
`
Na verdade é muito bom estar com alguem entusiasmada,
e positiva, pelo menos eu, preciso estar conectada e feliz ao lado de alguem.

Adoro o silêncio, mais não aprecio essa magia a dois.
 
 
ELAS








Nenhum comentário: